DIETA X REGIME: SABE A DIFERENÇA?

Talvez você acredite que eles sejam sinônimos, mas sinto em te informar, não são. Nem de perto regime e dieta são iguais. Porém, como a grande maioria das pessoas acredita que seja a mesma coisa, muitos mal entendidos acontecem quando se utiliza estes termos de forma errada. Esta confusão talvez seja fruto de uma super utilização destes termos pela mídia em geral. De uma maneira simplista, ambos tratam da rotina alimentar das pessoas e suas variações de acordo com os objetivos. Veja as principais diferenças entre estes dois conceitos:

DIETA

A dieta nem sempre tem como objetivo a perda de peso. Inúmeros atletas e pessoas que busquem a hipertrofia por exemplo, fazem uma dieta hipercalórica. Mas isto não quer dizer que deixa de ser dieta. A dieta pode ser definida como a mudança de hábitos alimentares, levando-se em conta inúmeros fatores, mas sempre focada na manutenção e melhora da saúde geral. A dieta consiste em uma mudança de hábito, algo que se pretende levar para a vida toda.

Ela é comumente mal empregada, quando se fala em mudanças de curto prazo com objetivos específicos.

REGIME

Aqui falamos em mudanças a curto prazo, com objetivos específicos e previamente traçados para serem alcançados em pouco tempo. É erroneamente chamada de dieta. Neste caso não se incorpora ela a rotina a longo prazo. São os famosos regimes que buscam perder certa quantidade de quilos em certo período de tempo.

Com isso fica claro a diferença entre ambos. Na minha opinião, a não ser em casos específicos, a opção mais inteligente e saudável será sempre a dieta, pois ela agrega valor ao seu corpo através dos nutrientes balanceados, provoca perda de peso, se este for o objetivo e melhora sua saúde a longo prazo. Existem casos onde o regime é indicado até por profissionais competentes, mas estes casos não podem ser levados como via de regra. 

Manter uma alimentação saudável, com todos os nutrientes e calorias necessárias para a manutenção de um metabolismo saudável é fundamental.

VOCÊ TRABALHA MUITO? VEJA COMO DEVE SER SUA DIETA!

A vida das pessoas fica a cada dia mais atribulada, com mais compromissos e cada vez com menos tempo livre, até mesmo para necessidades básicas, como exercitar-se e alimentar-se corretamente. Com isso, a grande maioria das pessoas que trabalha tem dificuldades em manter uma dieta regrada, controlada e saudável. Se esta pessoa tiver que se alimentar na rua, o problema é ainda maior, pois infelizmente neste caso, geralmente o fast food é o que prevalece, mas isso não quer dizer de maneira alguma que, se este for o seu caso, não haja solução para ele. Escolher os alimentos de maneira adequada, evitando grandes períodos sem se alimentar é o passo inicial para isto.

COMO ESCOLHER OS ALIMENTOS?

Escolher as melhores opções para quem leva um ritmo de vida atribulado é fundamental, mas geralmente uma tarefa bastante árdua e difícil, cercada de dúvidas. Inicialmente as pessoas se baseiam apenas na questão calórica, o que de certa forma está correto, mas de forma alguma é o único quesito que deve ser levado em conta.

Uma das coisas que faz com que os alimentos fiquem mais calóricos é a presença de gordura em sua composição. Isso ocorre, por que cada grama de lipídio contém 9 calorias, por sua vez, cada grama de carboidrato, proteína ou qualquer outro nutriente, contém apenas 4. Por isso, os alimentos gordurosos devem ser abolidos de sua dieta, sem mencionar o quanto eles fazem mal para sua saúde cardíaca e vascular.

Outro fator a ser levado em conta é o índice glicêmico dos alimentos. Este índice se refere a velocidade de absorção deles. Para você entender melhor, os alimentos ao serem absorvidos por nosso metabolismo, tem retirados os principiais nutrientes, e armazenados em células musculares, fígado e plasma sanguíneo.

Caso estas reservas estejam completas, os nutrientes serão então convertidos em gordura e armazenados nas reservas adiposas. Alimentos com baixo índice glicêmico, além de manterem a sensação se saciedade, tem uma absorção mais lenta. Com isso enquanto são absorvidos, já vão sendo utilizados pelo organismo. Existem diversos alimentos que se encaixem neste quesito, como os integrais, leguminosas, amendoim, vegetais entre outros.

Como você sabe, comer a cada 3 horas é o essencial. Nos lanches entre as principias refeições escolha alimentos com baixo índice glicêmico é fundamental. Algumas frutas como ameixa, pêssego, maçã com casca e outras, além do amendoim, aveia e outros, são ótimas opções. Como você não vai ter muito tempo para comer, escolha alimentos práticos, que não demandem preparo e que supram suas necessidades. Sucos também são bem vindos, desde que sejam naturais e sem açúcar.

Lembre-se que as refeições principais, café, almoço e janta, devem ser feitos com todo o cuidado para que não ultrapassem o limite de calorias. Deixar de fazer uma destas é um erro bastante comum, pois acaba deixando a pessoa com muita fome para a próxima refeição. Fora isto, é praticar atividade física, cuidar com os deslizes da alimentação, e sempre optar por alimentos saudáveis.

DIETA DA LUA

A lua não serve apenas de inspiração aos apaixonados e sonhadores, ela também é um dos fatores principais de uma das dietas mais conhecidas no que se refere a perda de peso. Segundo esta corrente de pensamento, as mudanças de fase da lua influenciam nossos líquidos corporais.

Como somos formados em quase 60% de líquido. Nesta dieta se preconiza que deva-se ingerir apenas líquidos durante as 24 horas do dia em que ocorre a troca de fase da lua. Ou seja, quatro dias no mês, quem faz esta dieta, ingere apenas líquidos de baixa caloria durante o período de 24 horas. Nestes dias de restrição de alimentos sólidos, a pessoa pode ingerir apenas sopas batidas, chás, água, sucos, café e iogurtes, todos eles sem açúcar obviamente.

Como ocorre a mudança de lua uma vez por semana, você terá toda semana um dia apenas de líquidos, o que pode acarretar na perda de mais de um quilo por semana, se a dieta for feita corretamente. Nos dias em que não se restringe a ingestão de líquidos, não existem privações alimentares previamente estabelecidas, mas é importante deixar bem claro que deve-se priorizar uma alimentação balanceada e com baixa quantidade calórica, para que se possa alcançar melhores resultados. Assim sendo, nos dias em que não ocorre a troca de fase da lua, não existe uma dieta pré estabelecida ou alimentos proibidos, como a maioria das dietas tem.

O que existe é uma alimentação balanceada. Já nos dias onde ocorre a troca de fase da lua, as restrições de alimentos sólidos tem de serem levadas a sério. Um exemplo básico de como seria a alimentação nestes dias segue abaixo:

1. CAFÉ DA MANHÃ: As opções são sucos de frutas naturais e sem açúcar, chá com adoçante ou puro e café com leite desnatado.

2. ALMOÇO: Caldo de carne ou de frango, com legumes batidos no liquidificador. Mas não é permitido o uso de batatas, e nem sequer outros tubérculos.

3. JANTAR: Repita a sopa do almoço. Entre estas três refeições principais, você deve fazer pequenos lanches, com sucos ou chás, ou qualquer uma das opções do café da manhã. Vitaminas de frutas também são permitidas, desde que não contenham açúcar. Um dos principais atrativos desta dieta para a grande maioria das pessoas é o fato de ela apresentar maiores restrições apenas um dia na semana. Além disso, a fácil realização dos dias de restrição é um dos atrativos dela.

Resultados rápidos também entram neste quesito. Porém como toda dieta altamente restritiva, mesmo que seja apenas um dia por semana, tem de serem avaliadas por um profissional qualificado. Passar um dia apenas com líquidos não é indicado para pessoas com hipoglicemia por exemplo, e não existe qualquer comprovação científica que este método dê certo de verdade. Além disso, pessoas que possuam probabilidade de maior retenção de líquidos podem vir a ter problemas com os dias de líquidos apenas. Portanto, opte pelo bom senso antes de sair fazendo todo tipo de dietas para perder peso.

 

9 ALIMENTOS COM COLESTEROL BAIXO

A próxima vez que você for ao mercado, mantenha o olho nestes alimentos para baixar o colesterol:

Bananas: Bananas conter uma porção saudável de fibra solúvel, o que ajuda a diminuir o colesterol, por interferir com a absorção do colesterol dietético.

Salmão: salmão contém ácidos graxos ômega-3, que ajudam a diminuir o acúmulo de placas nas artérias. Eles também ajudam a aumentar os níveis de HDL, o protetor bom colesterol, e reduzir os triglicéridos. Sardinhas: Como salmão, sardinha contêm uma boa dose dessas artérias protegendo ômega-3 ácidos graxos.

Azeite: O azeite de oliva contém antioxidantes e gorduras monoinsaturadas, que reduz o LDL, ou colesterol ruim. Escolha azeite de oliva extra-virgem para o maior efeito.

Espinafre: luteína, um pigmento encontrado em alguns vegetais como espinafre, foi mostrado que evita a acumulação do colesterol nas artérias. Espinafre também contém vitamina E, que ajuda a evitar o acúmulo de placa bacteriana.

Uvas: Como bananas, uvas também contêm fibra solúvel, que ajuda a diminuir a absorção do colesterol dietético. Um composto antioxidante encontrado em uvas vermelhas também podem ajudar a diminuir o colesterol ruim e triglicérides.

Chocolate escuro: Em algumas pessoas, antioxidantes, tais como flavonol, que são encontrados no chocolate escuro pode reduzir o LDL, bem como uma menor pressão sanguínea e aumento do fluxo sanguíneo para o cérebro e coração.

Abacate: As boas gorduras em abacates ajudam a aumentar o colesterol bom, que ajuda a proteger as artérias dos efeitos do mau colesterol. Ele também contém beta-sitosterol, que pode ajudar a reduzir a quantidade de colesterol que é absorvido a partir dos alimentos.

Berinjela japonesa: berinjela japonesa está repleta de fibra para baixar o colesterol e contém vários compostos que podem trabalhar para reduzir o LDL.